sábado, 8 de novembro de 2008

O sentido da vida

Ontem eu vi um cachorro ranhento, com grandes filetes amarelos escorrendo pelo focinho.
Meu avô, que era um homem grande e forte, e hoje está magro e fraco, as mãos maiores que a cabeça, me explicou que é uma cadela, que dorme nas vizinhanças e vai até o portão, se esfregar no cachorro sarnento dele, o Lupe.
O coitado do Lupe tinha tudo para se tornar um ótimo cão de guarda. Força, intrepidez, ferocidade, esperteza. Sabe-se lá em que altura da vida contraiu a doença que veio a debilitar seu corpo, consumir sua mente e torná-lo em um ser repulsivo ao toque humano.
Acho que ele está com raiva, e vai desgraçar a vida dessa cadela.
Hoje entrei no MSN, e cumprimentei todas as meninas e alguns dos caras com um amigável "daê gostosona". A maioria não respondeu. Duas ou três iniciaram uma conversação. E uma única me respondeu com soberba ofensiva: Me poupe!
Ela provavelmente será professora de português, ou inglês, ou espanhol, ou francês, mas seu orkut está cheio de erros gramaticais tão grotescos que espantariam qualquer visitante, não fossem as imagens em seu álbum, que mais eloqüentemente que mil palavras, gritam: MINHA BUNDA. MINHAS TETAS. MINHAS COXAS.
Sim, ela é uma gostosona.
E só.
Amanhã eu passarei o dia inteiro de ressaca, mandando links do blog para deus e todo mundo. Um pouco é mera propaganda, outro pouco é puro despeito. É verdade. Eu não dou a mínima para a deselegância de invadir o recesso do lar alheio e esfregar libelos libertários na cara dessa gente vagabunda e preguiçosa que trabalha pra caralho para pagar suas contas e acha que só isso compra o direito de tomar sua cerveja sossegado.
E embora minha postura filosófica de certa forma me obrigue a contestar afirmações de verdade absoluta como a encontrada no texto ali debaixo do meu, para efeitos de estilo assentirei à lógica que imputa ausência de sentido à vida.

Assim sendo, se a vida é sem sentido, e o próprio universo e eu mesmo também o somos, ninguém poderá me recriminar por um texto que é a imagem e semelhança de tudo ao seu entorno.

Paulo Eduardo de Freitas Maciel de Souza y Gonçalves


2 comentários:

Yo Carmo disse...

Querido amigo avassalador... Paulão.
Agradecemos o comentario feito... Gostei da sua forma de escrever... Volte sempre.
Apenas uma sugestão , na verdade , uma curiosidade...
Existe mesmo este estranho habito familiar aos simeos... ficar horas enfiando o dedo na cloaca do outro????
e ainda cheirar?....
Voce é adepto da pratica?

AnaCrônica disse...

HAHAHAHAHAHA!!!!!!!!!!!!

Adoreeeeeeeeeeeeeei!!!

Acho q foi por eu ter gostado, que tem só um comentário além do meu.

Rá!