sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Parábola de sol e trevas

Já há algum tempo que eu não saía pela manhã, ou sequer acordava antes do meio dia. Pelo menos não com essa freqüência. Mas o ritmo e as imposições sociais modernas são abominações tais, que por vezes renunciamos a nossos princípios e ao que nos é natural, em nome de posições que nos possam garantir sobrevivência e conseqüente esperança de perpetuação da espécie.

O que estou querendo dizer é que arranjei um emprego, e que a sensação de acordar cedo e enxergar o sol fustigante e opressor lá em cima é deveras estranha, seja pela falta de hábito e pelo ambiente desconhecido em que me encontro, seja por minha reconhecida animosidade quanto a astros, reis e congêneres.
E embora a culpa não seja da estrela, e sim da humanidade que por milênios carregou de simbolismo estúpido a sua figura, em geral deixo que sobre aquela recaiam meus impropérios, uma vez que tanto faz dirigir-se a um ou outro objeto inanimado.
Afinal de contas, há figura mais arrogante e presunçosa que a do sol, sentado nos cimos do trono celeste com sua bunda dourada, fustigando nossos lombos dia após dia com seus raios, os quais têm a indubitável função de nos relembrar constantemente que é a sua divina dádiva que nos permite existir enquanto seres vivos produtores de merda e mijo?
E antes que me acusem de suposta heresia, tentando esfregar em minha cara uma moralidade que nada me significa e a qual abandonei há muito, relembro a eventuais detratores que não sou eu quem se utiliza da superposição de meu ego sobre a natureza para justificar uma situação de confortável injustiça largamente reconhecida e convenientemente sustentada através de mitos e representações hipócritas e tendenciosos. Ao menos não em larga escala...
Chegará o tempo em que conjunções propícias permitirão que das mais abissais profundezas dos recônditos onde reina o fogo preto, surja a botina que bicudeará a simbólica bunda do simbólico trono, bicudeando por extensão as bundas de todos os seus seguidores. E minha será a botina, e minhas serão honra e glória.
E atravessaremos a noite eterna em diversões frias porém não frívolas, sem nos preocuparmos em dormir ou acordar.
Posto que sou um cristão e como tal me comunico por parábolas.
Paulo Eduardo de Freitas Maciel de Souza y Gonçalves

13 comentários:

Gui disse...

Nossa quanto sentimento ' KAUSHUAKSH' parabens pelo blog , passa no meu ? www.conexaotoonami.blogspot.com'

pedro disse...

báh, eu também é muito dificil eu acorda pela manhã, meu dia começa a partir das 2 da tarde, as vezes ao meio dia, mas muito raro!
otimo post!
abraço!
atualizado hj!
espaço dos blogs
http://na-arte-do-tempo.blogspot.com/

Lolita disse...

Adorei a parábola do sol, é meio tipo o da formiguinha. Uma hora de fábula pra no final quem derrete a neve do pé dela é o sol, como o maior ser e o mais forte (o único que não pode ser destruído).
Interessante!
Afila-se?

um beijo

Blog do Camelo disse...

Hhuahuahua, "meio tipo da formiguinha" hehe .. tem razão ..rs... bom mesmo ... paranbéns

blog disse...

O neologismo "bicudear" é adequado em textos parabíblicos.

AnaCrônica disse...

Não tenho lá muita afeição pelo astro (-)? rei (?), já não se sabe onde se enfiam os hífens ou hifens...vá lá...

Me simpatizo muito mais com a lua, ou com a noite e com o frio, e com a total ausência de regras e horários impostos.

De qualquer forma, parabens pelo novo...emprego?!? Trabalho!?!

Ah, sei lá...seja feliz com o que você diz ter arranjado...porque eu tô sem um desse troços aí e é bom e é ruim...a porra é o ardor escaldante agredindo as retinas logo cedo...

Bjo

Anônimo disse...

Em 2005, o papa Bento XVI convocou cerca de trinta teólogos para que fosse feita uma espécie de "reengenharia celestial" e revisar o conceito do limbo na teologia católica.

Finalmente, em Abril de 2007, a Comissão Teológica Internacional, que reporta à Congregação para a Doutrina da Fé, emitiu um documento afirmando que o limbo não passaria de uma hipótese e que nunca foi um dogma, e que "Deus, no seu grande amor e misericórdia, assegurará que as crianças não batizadas desfrutem da vida eterna com Ele no céu"[1]. O papa Bento XVI confirmou o documento e assegurou que as almas que não tiverem cometido pecados graves vão para o céu, mesmo que não tenham sido batizadas.

Dário Souza disse...

O doido eh que esse post começou falando sobre trabalho e termina falando sobre como somos inuteis e feito de merda e mijo...

Fábio Flora disse...

Acordar cedo pode ser chato, mas há provações bem maiores... Ah, e o coitado do sol não tem nada a ver com isso, né? Abraços e sucesso com o blog!

CG FILM PICTURES disse...

Tem coisas piores que acordar cedo, provações bem piores mesmo!!
Beijinhos de Rozangela Melo
Se quiser retribuir a visita, fique àvontade!!!
Fazemos cinema amador
Visite nosso blog
http://cgfilmpictures.blogspot.com

Junior disse...

Legal seu texto
o meu dia começa la pras 6 da manha
começo vendo o sol aparecer em meio a escuridao da noite passada, o ceu vai se transformando beem lentamente
as veezes acho lindo

alicia disse...

Faço-vos uma vénia!

Anônimo disse...

Ande sempre para o sol
Olhe sempre para o sol
E tudo que você quiser
E tudo que você pensar será
Iluminado como o sol
Brilhante como o sol
Tudo o que você encontra
E tudo que você amar
Será iluminado como o sol
Tudo foi feito pelo sol
Viva sempre em sua luz (do sol)
Tudo foi feito pelo sol