domingo, 3 de agosto de 2008

Clichê

Amor?
Recorrente.

Dor?
Recorrente.

Amor à dor!
Recorrente...

Amor ao amor de amar a dor.
Réco-réco-rente.

Amor à dor de ser um fingidor que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente.
Recorrente.
Mente.


Paulo Eduardo de Freitas Maciel de Souza y Gonçalves

32 comentários:

Marigold disse...

Hhahahahahahah

Bem bom sim ^^

Beijos!

Me Morte disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk
cara, cara, cara...corre o risco de ficar de salto alto, então vou manerar...
Muito bom!
Esse é o Paulo!

Cel Bentin disse...

Curti pacas esse malabarismo todo no cerco duma palavra. E mais: casadinha dum jeito seu com a idéia. Lance raro na rede. E apreciado!

Te leio no bar. Curti o teu quintal de cá. Recorecorecorrente agora, e lincado! Abraço

nanaxinha_dk disse...

bacana hsuaihsaiusha mesmo

Pedro Junior disse...

Olá boa tarde, curto os seus textos tem personalidade própria e se destacam entre o modismo e a mesmice de mts blog.
passa lá no meu blog depois
t+
abraços

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Modice e mesmismo.

Lory disse...

adoreei \o
muito bom mesmo !
hahaha, beeijomeliga :*

http://kisscallmelater.blospot.com

Raphael Pacheco ... disse...

Muito bem feita esta construção de palavras e sentidos!

Abraços

Jonatas Fróes disse...

Legal a idéia dos versos! Uma maneira diferente de tratar o amor e a dor, mostrando o quão clichê são esses assuntos hehe xP

[]'s

http://musica-holic.blogspot.com/

Elton Rosa disse...

cara! Adoro visitar blogs de poesias, mas ultimamente já estava de saco cheio, tava difícil achar alguma poesia que me agradasse, achei... vlw man, parabéns

Lucas Fernandes disse...

Uau! Parafraseando Pessoa e tudo mais. Tema recorrente, sim. Inteligente, também.

Abraços.
___________________________________
http://semfronteirasnaweb.blogspot.com

Gabriela Collaço disse...

Adoro trocadilhos...

Yuri disse...

Comentário inútil como o seu eu dispenso. Aprenda a comentar de verdade. Ou o que você carrega na sua mente? LIXO?

Lara Sousa disse...

Tudo é recorrente;
gosteii

beeijO

Lara Sousa disse...

Tdo é recorrente; eu gostei desses clic~hês de amor e dor para muitas pessoas no final tudo se resume mesma coisa;

beijO

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Galera, desculpem o chilique desse Yuri. É que os textos do blog dele são mto mto ruins, e pra não falar nada mto ofensivo eu chamei ele de emo.

E o sensível, comprovando minha teoria, deu tilt...

Dário Souza disse...

Ou seja não ame porque amar doi

hauahauaahau

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Não é não ame. É tenha um pouco semancol qdo for escrever sobre isso.

Nany Mckenzie disse...

Trocadilhooo , aoeiaieoiaoieoiae'
Prefiro não amar e nem sentir dor , do que amar e sofrer .

Fernanda disse...

Ufa! Consegui...

Gostei muito, parece Paulo Leminsk

Curto esse estilo de poema.

blog disse...

F'rnando Pessoa agradece.
Ele e a rapaziada do reco-reco, fazendo a trilha sonora.

Anarquia pura, como diria Mr. Allen.

Felithy disse...

kkkk

ficou super inteligente e simples este poesia

adorei


abraço

Danilo disse...

Ume desconstrução ou reconstrução do soneto do Pessoa, muio bom. Gostei da eficiência de cada palavra que você escolheu.

Leonardo disse...

muito legal!!

Franco disse...

Diferente e boa . Melhor ainda com citação de Fernando Pessoa .

Andressa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andressa, o demônio. disse...

Antonella loca de coitadinha...

aham....
sei....

Lauro de lacerda disse...

Romântico e engraçado ao mesmo tempo!
uheuheue
Abraços!

acesse:
www.radioadcampos.blogspot.com

Sandro S. Sorte disse...

bem legal, bem legal também a citação de camões no final.

abraços!!!!

greatdj disse...

Muito legal o jogo de palavras.
Deu sonoridade e passou uma ótima idéia não deixando o texto chato!
Mto bom.

Edu França disse...

Texto violento, chega a ser agressivo, mas agradável essa forma sarcástica!

www.manufaturanova.blogspot.com disse...

Uma ode ao Amor. E o amor é sempre doce a traiçoeiro ao msm tempo. Belo poema!