sábado, 9 de julho de 2011

Ruminâncias

Quando o caminhar monótono em busca da absorção da grandiloqüice do mundo foi interrompido em nome das regras, horários e convenções que ditam o passo do convívio social, a insubserviência crônica e explícita a todo tipo de código de comunicação ou conduta foi tida como domada.

Mas os caminhos ainda eram os mesmos, e aqueles que os percorriam ainda rumavam ao mesmo fim.


Paulo Eduardo de Freitas Maciel de Souza y Gonçalves

43 comentários:

Fernanda disse...

Sou um tanto insubserviente pelo viés cronológico, e o fato de viver atrasada é bom indício. :-) Mas é bom, por outro lado, deixar que nosso tempo interno de anos não nos impeça de tocar a outra ponta, a inicial. Não gostaria de me afastar dela. Nunquinha. Que eu ame sempre com ternura mesmo os ditos e vividos pelos quais não tenho mais a paixão de criança. Beijos! Sucesso!

Lucas D.F. disse...

no minimo otimo o texto...
faz pensar em um monte de coisas... gostei

http://meninos-cor-de-rosa.blogspot.com/

CAMILA DE ARAUJO disse...

as coisas sempre caminham pro rumo que devem, por mais que deixe a gente ruminando

http://www.papel40kg.com/

André Alves disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Garotas do Século disse...

hm, ótimo texto!

bia santos disse...

Mais uma vez não entendi nada, ou entendi pouca coisa...

Só te digo que o trema não mais deve ser usado...

Francorebel disse...

Vomitâncias.

indivídua disse...

e depois, o q acontece?

Bersebah disse...

Texto complexão grande Paulão!

Por um lado é interessante o refinamento, mas, por outro lado, uma escrita muito técnica como esta acaba dificultando a compreensão plena da grande maioria, que terá de ler o texto diversas vezes para conseguir captar a mensagem que deseja passar.

Para mim...o texto é um tanto confuso e contraditório, mas, no fundo, quiz mencionar uma sociedade de pessoas futeis e vazias, em vidas cheias de regras e conensões, instituidas por elas próprias, pela midia, e pela lei, e acabam assim vitimas de ir no mesmo caminho de perdição e futilidade de sempre, sem fim, sem mudança, sem solução.

Parabens pelo espaço.

Wendel aka Bersebah

Matheus disse...

Esse texto contem verdades.....

Larissa disse...

Tudo se repete. É lastimável que queiram nos domar...

Iguimarães disse...

trágico...
a vida é quase sempre assim!

Pedro Pyratero disse...

Não curto esse tipo de blog, e trema já caiu na nova ortografia.

Blog UaiMeu! disse...

Grande coisa!

Larissa disse...

"Só o impossível acontece, o resto se repete. Se repte."

@iamvictor_ disse...

gostei

palavras ao vento disse...

caminhando ate o fim...sem parar..

André Narciso disse...

Muito Legal.

Pedro Paulo disse...

não entendi onde quis chegar, acho que precisa ser mais objetivo, direto e claro.

Nubia Santos disse...

Interessante , de se refletir , com certeza ;)

Rafael disse...

Muito Bom

http://lrfilmes2011.blogspot.com

Karine Lima disse...

será? talvez...

Urbano disse...

Regras são (em tese) facilitadoras. Fáceis de compreender, fáceis de seguir. Talvez seja de nossa espécie seguir em formas. Abs.

Aline Diedrich disse...

Gosto muito do jeito que você brinca com as palavras e torna seu texto repleto de significados!

paradigmas universal disse...

Regras ditadas em diferentes formas de se comunicar, regras digitadas através de códigos genéticos.

Cícero Barbosa disse...

cara, até babei...

Cícero Barbosa disse...

da próxima faz um looping.

Pamela Dal'Alva. disse...

haa. por mais q não entendi nada vc escrve bem.. XD

enfim ne vai entender.
(li 2x)

Lina Savle disse...

E ainda com essa confusão permitida admitida, algumas pessoas se permitem matar as palavras e falar com o olhar...

Bela observação.

http://meribriao.blogspot.com

enricows disse...

Muito confuso, porém belo o texto! Sim, os caminhos continuam os mesmos!
Parabéns pelo blog! Abraço!

http://enricows.blogspot.com/

Jeh Pagliai disse...

Pois, mesmo complicado... Hehehe

Beijinhos

---
www.jehjeh.com

Losterh disse...

Liberdade é pretexto. E as regras são pretexto pro medo.

Rubi disse...

Regras, rotina exaustiva, horários, correria ... isso é o ser humano. Saudades de quando nada disso existia (passado distante esse, não) Época em que as pessoas se divertiam, conversavam, mandavam cartas, se encontravam em praças ...

Enfim.

Hara Haira disse...

oi ja estou te seguindo ^^
sou uma divulgadora de eventos de cultura japonesa
meu blog de trabalho : http://harahaira.blogspot.com
que tem (560) seguidores e total de visitas 45,650
meu perfil: http://harahaira.blogspot.com/p/meu-perfil_29.html
sobre meu blog: http://harahaira.blogspot.com/p/sobre-o-blog.html
meus lindos banners de divulgação:http://harahaira.blogspot.com/p/link-me.html
meu mural especial: http://harahaira.blogspot.com/p/mural.html
minha comu http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=11316242
nosso msn :group1106467@groupsim.com
Twitter:@harahaira, coloquei uma tag para falar sobre o que vc achou do meu blog no twitter #harahaira_blog
vc tbm pode me curti pelo facebook http://www.facebook.com/pages/harahairablogspotcom/155511091126173

opiniaodesegunda disse...

???????

RZorpa e Loubah Sofia disse...

Caro Paulão,aqui tanto a publicação quanto os comentários são de perder o fôlego...Platão perderia para a filosofia que rola aqui.

Estupefacto abraço e a seguir-te, creia nisso.

CAMILA DE ARAUJO disse...

Ei, Paulo! Atualiza isso aí com mais uma das suas maravilhas ácidas, amigo.

http://www.papel40kg.com/

Vanessa disse...

diferente e interessante

Marcela disse...

Bem no fundo, nunca seremos domados. Nos portamos como uma manada que segue sem rumo. Mas todos sabem onde devem ir, não vão porque é mais cômodo.

aedos disse...

velho, vc devia cursar letras. Explicou a teoria dos gêneros discursivos melhor que minha profe.

aedos disse...

quando dominamos os gêneros dominamos o mundo. perder a identidade é questão pessoal, acredito ser difícil uma vez que o discurso, por mais artificial que seja, carrega a personalidade. Nem que seja só na escolha das referências.

Banquete dos Mendigos disse...

o título da postagem, o estilo do texto e tudo mais, me fizeram lembrar do livro "a hora dos ruminantes", do josé j. veiga...

Ms. Molly Bloom disse...

texto que te faz examinar a mente...pensar.
Bom, mas tenho que refletir antes de fazer qq comentário sosso.
Abraços e bom domingo.