domingo, 29 de junho de 2008

Atração física

Eram como luzes dispersas. Massa em meio à escuridão e ao vácuo. E atraíram-se. E traíram-se. Ele bem mais do que ela, se é que é possível falar em gêneros, senão apenas em naturezas opostas.

Cômodo é ser o que se é simplesmente. Tanto quanto procurar uma mudança constante, por prazer ou vontade. Escolhas. Equivalências.

O que dói, incomoda e encanta, é a mudança obrigatória e virtualmente desnecessária. A energia inexplicável que atrai de forma sutil e fatal, ocasionando a quebra de ligações estáveis em nome de experiências fugidias, embora talvez, por certo, belas e excitantes.

Corpos celestes. Naturalmente atraentes ao ser humano esteticamente sensível, ou mesmo apenas curioso. Irresistíveis então, se animados pelo sopro da vida. Num universo onde tudo é a mesma coisa, os mais lindos amontoados de carbono.

"Tortura-me sob a luz do fogo de mil velas, e ainda assim, jurar-te-ei de pés juntos tratar-se sempre de física, nunca de amor."


Paulo Eduardo de Freitas maciel de Souza y Gonçalves

Postagem original acá

6 comentários:

lady *rosenrot* disse...

Isso me lembra "O Retrato de Dorian Gray".. sobremaneira...

O estilo da escrita é muito parecido.

Gostei!

Raphael disse...

Muito bacana...o estilo descritivo em seu texto causa interesse na leitura. Gostei bastante...abraços!

@nderson Pinheiro disse...

massa a postagem!
o blog como ja disse na nova postagem
ta massa....
tudo blz por.. aki
fiquem com deus!

>>RÁDIO BAGACEIRA<<
http://radiobagaceira.blogspot.com/

amandaedalete disse...

que lindo
posso chorar?
Adorei

Lou Reed disse...

vai um pouco?
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cicuta

Letitia Morgan disse...

Muito bonito!