domingo, 3 de fevereiro de 2008

Malsão

Meu signo é libra e meu temperamento é de contida selvageria. Inconstância, portanto, há de ser sempre o fiel desta balança.

Já há vários anos a doçura da amêndoa comunica com força a cada vez q tusso: Morte! Morte! Morte!

Entre a ousadia e a precaução, o oscilar de meus sentimentos parece levar-me sempre ao encontro do inusitado, seja por hábito, tática, ou falha na execução.

Minhas roupas são velhas, e por mesquinharia ou vaidade, por elas sinto amor. Minha pose é calculadamente charlatã e o orgulho tenso de quem reconhece a soberba na própria face não me deixa admitir que em verdade, aí reside o segredo e o engenho.

Sou todo prosa.

Quando não, poesia.



Paulo Eduardo de Freitas Maciel de Souza y Gonçalves

9 comentários:

Luana disse...

Não sabia qe dançava tmb.....

o.O'

Me Morte disse...

Esse é o Paulão que admiro. Eu uso uma roupa e daqui um tempo troco por outra, não me apego, mas admiro os que o fazem.
Vc já é demais, citando minha amiga morte então, ficou ducaráleo!
Beijos

Anita disse...

muito bom Paulão Fardadão!

avadore disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Se fode.

Andressa, o demônio. disse...

Você vai ser uma mãe.

Letitia Morgan disse...

Eu também sou demoníaca. Com a agravante que não possuo o tal fiel da balança. Este texto fez-me lembrar um poema: http://users.isr.ist.utl.pt/~cfb/VdS/v104.txt

João Bosco Guimaraes Mafra disse...

Fiel ou não a balança, você continua e continuará a trilhar este teu caminho de .....

poesias?

João Bosco
jotabemafra.blogspot.com

João Bosco Guimaraes Mafra disse...

Fiel ou não a balança, você continua e continuará a trilhar este teu caminho de .....

poesias?

João Bosco
jotabemafra.blogspot.com