sexta-feira, 30 de março de 2012

Irrelatividade


Toda essa descida,
todo esse caminho,
todo esse querer.

É o ir e vir nauseante da vida
dando vida ao que não pode ser.

Um pedaço de papel,
meio traço de caneta
e nas curvas infinitas
- encontro de todas as retas -

deuses desfalecidos
desfazendo obras completas.

Paulo Eduardo de Freitas Maciel de Souza y Gonçalves

41 comentários:

Larissa disse...

eu fico viajando nessa de que todas as retas, são na verdade pequenas curvas.

Bagis Bueno disse...

li e não entendi, vou filosofar

marcela disse...

Não é para entender...
só dá para sentir
Espetacular!

"É o ir e vir nauseante da vida
dando vida ao que não pode ser."

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

Comunidade exclusivamente de comente no blog acima no bacefook: http://www.facebook.com/groups/302622349806562/302625503139580/

Guru do Metal disse...

não da pra entender por que não têm sentido, mas é melhorzinha que as outras

http://rocknrollpost.blogspot.com.br/

eumacle disse...

é verdade essa ficou bem melhor
que as outras.

Grube disse...

"deuses desfalecidos
desfazendo obras completas"

muito bom! parabéns!

Priscila Gonçalves disse...

Interessante.

Gostei!!!

Acho que não é pra entender, simplesmente apreciar!

Abraão Braga disse...

Parabéns! Tudo é irrelativo, nada é certo, nada é exato, tudo é imprevisivel!

Thiago Damião disse...

hmmmm........ sei lá, não entendi não.

Aline Diedrich disse...

E se encontram novas curvas, notas retas, novas histórias... Mas isso é relativo...

Carolina Lima disse...

Bem intenso seus versos. Vc escreve bem :D

Lucas Adonai disse...

Caraca, nunca olhei por esse lado.

Artmann disse...

uau, bela rima no final!!!

Danilo Salve disse...

meu mt legal os seus posts, parabens pelo blog

http://blogdosgoiabas.blogspot.com.br

Guru do Metal disse...

cara... já comentei em praticamente todas as tuas postagens, seria bom colocar novas com mais frequência, um blog bom é um blog atualizado

ah... e vê se deixa um comentário inteligente lá no meu, se não nem precisa comentar

http://rocknrollpost.blogspot.com.br/

Amelu Nunes disse...

é meio tipo uma onda louca né

Henry Barros disse...

Cara, gostei muito ^^ sério
"deuses desfalecidos
desfazendo obras completas."
foi uma sacada muito boa ^^

Filipe Dias disse...

Interessante,
os deuses deveriam ressussitar mais vezes
e escrever mais vezes

Lucas Adonai disse...

Muito bom!

Lainara disse...

Não entendi muito bem, mas acho que esse é o sentido.

Camila . disse...

Deuses só criam obras imperfeitas.

Reload Aon disse...

Palavras difíceis, mas gostei do ritmo.

http://reload-aon.blogspot.com/

Café de Fita disse...

as primeiras duas estrofes sãom redundantes ao ponto de quase não terem propósito.

Tiago Guillen

Lainara disse...

Não sei se você percebeu, mas o meu Blog é um Blog cristão, de repeito, assim como eu respeito o seu, você deveria respeitar o meu. Se for pra comentar coisas toscas, fúteis e falar palavreados que não convém com o Blog, nem comente. Obrigada.

Mylla disse...

Fiquei na dúvida se é sobre arte ou matemática, hahaha. Mas qual é a diferença, né? Ambas não passam de caprichos dos deuses. :]

:*

http://hey-london.net

Marília disse...

Resumindo: Nada faz sentido!!
É legal cada pessoa interpreta de uma maneira ahahaaha

Lainara disse...

Bosta na cabeça quem tem é você, que só sabe falar merda! Fala, fala, fala mas acaba não falando nada.

Letitia Morgan disse...

Os deuses são assim, podem fazer e desfazer ao ritmo de cada um.

Bjs.

Nilson Vieira Moreno disse...

é, esse é legalzinho...

Ítalo Richard disse...

Muito bom, execelente uso das palavras.

www.todososouvidos.blogspot.com

Marília disse...

é muito loko, devo ser retardada não entendo nada ahahaha

Juliana Marques disse...

Adoreei!

T. disse...

Você coloca as pessoas em uma situação "pensante". Claro as pessoas que leem com intensidade...
Você faz a gente se perder em um misto de sensações, de confusões, de incompreensão... De dar inveja.
Parabéns.

http://amorlazarentoamor.blogspot.com.br/

Priscila Natany disse...

Lindo!

Camila P disse...

Ai que triste...
Como que as obras se desfizeram também?

Beijos!

Bongop disse...

Gostei Paulão!
No meio da loucura deuses desfalecidos
desfazendo obras completas. Muito boa essa tirada!
;)

Fábio Flora disse...

Nem tudo é relativo. Mas pode ser poesia.
Abraços e sucesso com o blog!

Kamilla de Muinck disse...

Muito lindo (:

Mari Carazolli disse...

Nossa... mt lindo.
Quem não entender é pq simplismente nao tem alma de poeta!!!

Tô seguindo, segue tbm
http://maricarazolli.blogspot.com.br/

André L. Soares disse...

Belíssimo poema acerca do fazer poético, sempre tão cheio de curvas e tempestades (pelo menos pra mim).
Parabéns, belíssimo trabalho.
Grande abraço!