sábado, 17 de abril de 2010

Fábula da mágica mentira

-->
A energia que possibilitou a realização do ritual, retirou-a de uma dessas convulsões sociais que de tempos em tempos convergem em todos os planos, quando através do previsto pela configuração astral do Cometa Meteoro com as Linhas Abissais Anômalas, apresentou-se em local e momento corretos para absorvê-la de uma das maiores já vistas, que ceifou incontáveis vidas de toda e qualquer espécie jamais existente.
Nos parapeitos e sacadas das beiradas dos cantões de todos os universos, sacerdotes e altos-dignatários de variadas designações esotéricas reuniam-se com grupos seletos de pupilos, herdeiros e familiares exigindo atenta observação. Tantos e tão diferentes mestres; uma única recomendação: - Alá a merda que rola quando profanos se metem a desencadear eventos!
Juniki, o mais novo e promissor dos filhos de Bierklaus, Sumo-Sacerdote e líder supremo dos místicos do Horto Negro, torceu nervosamente a barra de sua toga cerimonial e encolheu-se quase imperceptivelmente ante a magnitude e o espectro das forças desencadeadas. Seu experiente e poderoso pai, tratou porém de tranqüiliza-lo: - Susse fry, a possibilidade de manipulação de tais energias é proporcional ao caráter lobisómico daquele que as invocar. Um afetado a vampírico com intenções claramente calculistas como este jamais teria a força de vontade necessária para dominar tamanha fúria. Ele será consumido pela própria ambição.
Mas ao invés de implodir e consumir o profano em seu centro, a enorme massa de radiação incandescente, como que impelida por sua vontade, expandiu-se em espirais sucessivas até assumir a forma daquilo que parecia em seu exterior uma estrela de sete pontas com os vértices perfeitamente alinhados com cada um dos portais de observação, levando em múltiplas realidades o astrônomo amador Ricky Padeiro a exclamar simultâneamente: - Um flambant!
Do interior porém, a situação era inversa. Os vértices é que formavam pontes invisíveis ligando a estrela e os portais, através dos quais irrompiam instantaneamente alcatéias desordenadas de incontroláveis chamas lobisomórficas, torrando os observadores nas sacadas e parapeitos dos confins dos cantões dos universos, os fracos na mesma hora, os fortes um segundo depois.
Descendo da cabine da estrela - que agora permaneceria ligada por pelo menos cinco eternidades, impedindo definitivamente através de exaustão por consumo qualquer tentativa de reexistência por parte dos habitantes dos portais - o profano foi recebido por uma multidão de aturdidos acólitos, que pela primeira vez testemunhavam uma bem sucedida prática de resistência ao tão afamado ritual de suicídio.
Através dos éons o inusitado de um tal feito geraria especulações sobre como um ser de características eminentemente vampíricas domara o cão, sendo que de cada vez que alguma lhe chegava ao conhecimento, o profano gorgolejava rios de cachoeiras; tanto celebrando a feliz coincidência triste que o despossuíra frente ao mundo a caminhar em quatro patas, quanto desdenhando da burrice analítica de seus estudiosos, que por medo ou preconceito, sempre se furtavam à aproximação que permitiria um entendimento detalhado sobre a natureza da besta, cuja insuspeitada consciência não necessitava para orientá-la em direção ao caminho desejado mais do que a força de vontade necessária para convencê-la da honestidade de seus propósitos. Ainda que mentirosos...

-->
E de cada vez que isso acontecia, a multidão de acólitos que sempre o cercava qual moscas rolando bosta, por sua vez limitava-se a exclamar entre sussuros: - Esse profano é doidão!


Paulo Eduardo de Freitas Maciel de Souza y Gonçalves

40 comentários:

Pobre esponja disse...

Podereia analisar com mais carinho, mas sua reputação, até então, não fará perder meu tempo.

abç
Pobre Esponja

Marcela disse...

Sabe,

isto muito me lembrou teatro mágico, são uns caras de Osasco que fizem parte de uma trupe independente em SP. Procure saber, talvez veja identificar - se!

Terminarei portanto com uma frase de Anitelle, "o que é mesmo que se passa?"

Talvez, você esteja nesta busca...

http://memoriaspsicodelicas.blogspot.com

Bacon do Stewie disse...

Sucesso com o BLog

Art =] disse...

bom texto
parabens

Daniel Lima disse...

www.comdestaque.blogspot.com ---- www.sarau2eteres.blogspot.com

Lega, parabéns

Arathane disse...

Seu blog é mto doido !!! Legal rs...
"Esse profano é doidão"

Sharisflips disse...

sua reputação..

Anônimo disse...

Seu lixo favorito

Carlos... disse...

bom pra carai...

Carmem & Anderson disse...

*susse fry*... há tempo não via estas pérolas do léxico daqui de pg...rssssssssssssssssss

bacana a forma como enfia as palavras (na marra) no texto.

pisovelho.com.br disse...

Obrigado pelo seu comentário e valeu pela observação.
Já corrigi o erro.

Alexandre Terra disse...

sua reputaçao...

Macaco Pipi disse...

SE É MENTURA Q SE FODA

Jean Leal disse...

Podereia analisar com mais carinho, mas sua reputação, até então, não fará perder meu tempo. [2]

Abraço

Fábio disse...

reputação e mentira...fábula...

Luiz Brisa disse...

reputação mentira
belo blog
otimo texto me perdi numa parte no meio mais deve ser so a minha ressaca
rsr
abç


http://vagalnerdkawai.blogspot.com/

luciana disse...

texto muito louco, mas pra analisar melhor preciso ler novamente, muita coisa de uma vez só.

ARTES URBANAS disse...

PARABENS

Bacon do Stewie disse...

Muito maneiro o Blog

nego nata disse...

oi te vi na comunidade do blog e li alguns dos teus post's e gostei bastante!
da uma visitinha no meu http://nata.arteblog.com.br/
http://nata.arteblog.com.br/
http://nata.arteblog.com.br/
http://nata.arteblog.com.br/
http://nata.arteblog.com.br/
http://nata.arteblog.com.br/


abraço!

^-^¨cat disse...

muito doida eh essa narrativa! muito bem feita!

Didi disse...

Uma narrativa bem doida e psicodelica, mas bem escrita e super criativa.

aam-00 disse...

Legal.
será a verdade uma mentira convencionada?

http://www.sintoonize.com/

gAng disse...

Esse profano é doidão!

oh yeah!!!

Francorebel disse...

Comentaram sobre o Teatro Mágico... é uma boa referência mesmo, talvez você já conheça, mas, se não conhece, pode ser que, ao conhecer, se identifique... valeu!

Bruno disse...

Que isso véi, que castelo. Muito bem escrito, mas forçou excessivamente meu intelecto.

diibiazza disse...

massa o texto, vc escreve baaum ;D '

Rogerio disse...

um conto estranho...mas interessante,,. um lado da escrita estranho mas bom de se ler...

Habib Sarquis disse...

Intrigante e fabuloso.

Blog: Cultura Dinâmica - www.culturadinamica.wordpress.com

Marcinha Muito Mãe disse...

MACABRO, MAS EM ESCRITO!!!

Balaio Furado disse...

Sou semi-analfabeto por parte de mãe, pai e parteira...logo n compreendi mto. Uma vez me disseram que maconha é pra fumar e n misturar na comida, pão, feijão...mas enfim.

Teu texto é bem prolixo, liguagem dificil...mas tem seu valor...e se tem público, ta ótimo, segue na linha cara.

Até

MR disse...

Estranho! Será q é isso que vc quer semear nos outros!

Leonardo disse...

Dorgas Manolo !
Seus textos são mto viajados caras...não curto muito, mas pelo visto a galera tá curtindo então parabéns

Guilherme Lombardi disse...

essa narrativa ficou foda!

Esconderijo disse...

Sempre bom retornar a essas páginas depois de um bom tempo.... Bom mesmo. Muito interessante o texto - posso exclamar entre sussuros.

Vlw.

http://escondidin.blogspot.com/2010/04/caminhando-e-sonhando.html

Boa leitura>

Pobre esponja disse...

Isso aí

abç
Pobre Esponja

Marcela Reinhardt disse...

oi!
há tempos não vinha visitar este blog!
nossa... preciso ler de novo o texto para digeri-lo melhor... acho que estou com sono de mais ou de menos para compreendê-lo exatamente!
Aguardo visitas!

Pobre esponja disse...

Tem que atualizar mais, amigo

abç
Pobre Esponja

Alexandre Terra disse...

q mentira isso pow!

mixaria disse...

Bem,seu texto é ótimo,porém,os leitores ficam meio entediados !