domingo, 6 de abril de 2008

Desgarça

Tessitura de tudo que foi,


num rasgo final de beleza.


Contrapondo ao escuro infinito


um raio,


um grito,


tristeza.



Paulo Eduardo de Freitas Maciel de Souza y Gonçalves

6 comentários:

Andressa, o demônio. disse...

Te pus o link la no meu

o teu funciona.

J. disse...

ah, gostei!

Me Morte disse...

triste paulo, bem triste.

Ramon disse...

tristeza nordestina,
falta de água
putas na rua.

Letitia Morgan disse...

Às vezes as melodias do presente são agressivas.

João Bosco Guimaraes Mafra disse...

Fases de uma vida desgarsada de tanta sofreguidão

João Bosco